Português nascido em 1969, a residir no Porto.Licenciado em Artes Plásticas – Pintura, pela Fbaup (Faculdade de Belas Artes do Porto).

Artista plástico, com trabalho desenvolvido essencialmente nas áreas de desenho e pintura.

Prémio: Menção honrosa atribuída pelo Júri do XXVIII Salão de Primavera Prémio Rainha Isabel de Bragança na Galeria de Arte do Casino Estoril 2015.

Exposições, entre outras:

Colectivas:

2020 – XXI Bienal Internacional de Vila Nova de Cerveira de 1 de Agosto a 31 de Dezembro , Vila Nova de Cerveira

2018 – Fundación Caja Rioja-Bankia | Premio Mazacote de Oro de Pintura | Logroño, España.

2017 – Exposição de Arte Contemporânea | Lethes Art Ponte de Lima 2017 | Memória & Identidade(s) .

2017 – Camélias da Cidade – Fundação Escultor José Rodrigues, Porto

2016 – Sobre 23 e meio, Espaço Associ’arte – Federação das Associações Juvenis do Distrito do Porto, Porto

2016 – Projeções Lugar do Desenho – Fundação Júlio Resende.

2016 – Prémio Carmen Miranda, Museu Municipal Carmen Miranda, Marco de Canavezes.

2016 – Insert Mobility, CEiiA // Centre of Engineering and Innovation, Matosinhos2015 – XIX Bienal – Festa do “avante!”, Setúbal 2015.

2015 – Vê lá se me apanhas, Museu da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, comissariada por Domingos Loureiro, Porto2015 – Tangentre, Quinta de Monserrate, Matosinhos

2015 – Extra Vaza Mente, Palacete Pinto Leite, comissariada por Domingos Loureiro, Porto

2015 – ”XXVIII Salão de Primavera” Galeria de Arte do Casino Estoril2002 – “XIX exposição colectiva dos sócios da Árvore”, Mercado Ferreira Borges, Porto

1999 – Fundação Cupertino Miranda, Porto

Individuais:

2019 – “Unplanning”, Imobiliária Pedro Ramos Pinto, Porto 2019

1996 – Casa do Turismo de Vila nova de Cerveira 1996

1994 – Hotel Solverde – Espinho 1994

Trabalhou como ilustrador no filme “Um Século de Energia” Realizado por: Manoel de Oliveira (2015)


Apesar de apenas ingressar a Faculdade de Belas Artes do Porto em 2011 onde completou a Licenciatura de Artes Plásticas – Pintura, desde muito cedo que desenvolve trabalhos de pintura e desenho como autodidata. A actividade artística é complementada com a fotografia e a música.

A interpretação subjectiva e individual são conceitos presentes no processo pictórico que tem vindo a desenvolver recentemente.

Centrando-se na reflexão sobre a existência humana, no momentâneo e no efémero recorrendo à pintura figurativa. Do isolamento urbano retratado por E. Hopper ao realismo “plural” de Tim Eitel, são referências basilares que se revelam nos actuais trabalhos de António Bahia.

AIR –


UNPLANNING – 

HORIZONTS – 

CONTACT